quinta-feira, setembro 6

A obsessão da medida e o risco do empobrecimento

Uma das obsessões (há outras...) que percorre o novo ECD tem a ver com a medição do cumprimento dos objectivos (vide artº 8º do projecto de Decreto Regulamentar da Avaliação dos Professores). Esta hiper-subordinação da acção individual aos objectivos pré-estabelecidos conjugados com os indicadores de medida é tributária de uma ilusão cientifista e tecnocrática e vai inevitavelmente empobrecer as práticas educativas e as aprendizagens dos alunos. Porque o que não puder ser previamente objectivado e medido (ou for de difícil concretização) tenderá a ser abandonado. Se olharmos com atenção encontraremos muitos exemplos do que afirmo. Práticas de extraordinário valor educativo que serão sacrificadas no altar destas tristes ilusões.

3 comentários:

3za disse...

Será assim tão difícil os responsáveis entenderem estas evidências aparentemente tão simples?

JMA disse...

Pode ser porque estão fora da realidade.

MS disse...

Já alguém percebeu a que autores, a que escolas teóricas, foram os nossos (i)responsáveis "catar" este(s) tipo(s) de avaliação?
Quanto mais leio sobre o que se espera que faça como titular, mais a minha gastrite se queixa, e a minha consciência me diz que ñão vai conseguir assobiar para o lado e fazer de conta que não é nada com ela...dupla personalidade não é distúrbio psicológico?
Manuela Sampaio