sexta-feira, dezembro 31

domingo, novembro 28

Esperança

A Fátima André semeou um desafio na caixa de comentários. Diz ela que urgem "novos testemunhos de encorajamento e esperança. Só o Bem pode fazer a diferença! Espalhá-lo é competência daqueles que acreditam conseguir inventar dias mais claros, como diria o nosso JMA".

É uma grande verdade, Fátima. Apesar da negrura dos dias nas escolas situadas, há que acreditar que é possível inventar dias mais claros... também pela nossa sanidade.

Espero que aceites a devolução do repto: deixa-nos o teu testemunho de encorajamento. No próximo mês, tentaremos (todos os confrades que por aqui passarem e desejarem) relatar uma pequena história ou descrever um facto, agregar uma fotografia ou um poema, publicar algo que suscite esse sentimento cada vez mais raro nos dias que correm: a esperança.

Este nosso espaço é teu. És bem-vinda, Fátima!

sexta-feira, agosto 20

No dia a seguir ao Dia Mundial da Fotografia

.
.
.

[Atlântico, Agosto'10]





... porque os dias seguintes também são muito importantes!

sábado, junho 19

A sua obra ficará para sempre

Sem palavras, deixo aqui apenas a recordação do Homem e Escritor. Da sua obra... essa não morre!

sexta-feira, junho 11

ARagem

O template do nosso Aragem foi atacado por uma virose. Decidi dar-lhe esta roupagem, leve e fresca. Espero que seja do vosso agrado! :)

quinta-feira, maio 13

Motivar os alunos e combater a indisciplina

Preciosos posts do JMA "desaparecem" depressa devido às postagens diárias (todas preciosidades). Hoje escolhi estes três posts para lhes manter a visibilidade:















___________________________________

Pequena memória/recordação

[Tenho tão poucas fotos deles... :-( ]

quinta-feira, abril 22

A autoridade propõe-se e impõe-se.

Nada encontrei melhor pretexto para prosseguir com a reanimação do Aragem: reeditar um excerto de um texto do Savater, que publiquei no outrÒÓlhar.

A palavra «autoridade» remete etimologicamente para o verbo latino augeo, que significa, entre outras coisas, fazer crescer. O paradoxo de toda a formação é o facto de o eu responsável se forjar a partir de escolhas induzidas, pelas quais o sujeito ainda não se responsabiliza. A aprendizagem do auto-controlo inicia-se com as ordens e indicações da mãe, que a criança mais tarde interioriza numa estrutura psíquica dual que a torna ao mesmo tempo um emissor e um receptor de ordens: quer dizer, a criança aprende a comandar-se a si própria, obedecendo aos outros. Em todas as latitudes, as crianças crescem como a hera trepa pela parede, com o auxílio dos adultos que lhes oferecem ao mesmo tempo apoio e resistência. À falta desta tutela, nem sempre complacente, é possível que acabem por tornar-se disformes até à monstruosidade. E a autoridade sobre elas exercida deverá caracterizar-se pela continuidade – primeiro, na família, depois, na escola: se a um período de abandono caprichoso se seguir uma brusca interrupção autoritária, será fácil que o resultado venha a revelar-se um desastre. Decerto, a autoridade dos maiores propõe-se aos menores como uma colaboração que lhes é necessária; mas, em certas ocasiões, terá também de se lhes impor. E é disparado aplicar estritamente desde o infantário o princípio democrático segundo o qual tudo deve ser decidido entre iguais, porque as crianças não são iguais aos seus professores no que se refere aos conteúdos educativos.

(Fernando Savater)

A minha escola acaba de comemorar os 25 anos de serviço público, do bom.

Foi uma festa bonita, de reencontros e de muitas evocações. O tema «autoridade» foi várias vezes revisitado nas palavras de Savater, actuais, como sempre!

quarta-feira, abril 21

O Melhor Professor

Palavras Chave: gostar dos alunos; acreditar; confiança; inovação; invenção; determinação; exigência; trabalho.

terça-feira, abril 20

Só para enfeitar este Aragem tão abandonado...

Imagem final do meu primeiro fractal confirmado por amigo e matemático especialista como sendo mesmo fractal, sem erro, ainda que simples e pequeno.

quinta-feira, março 18

What teachers make

algum tempo coloquei aqui o poema. Coloco agora o vídeo do próprio autor a declamá-lo. Traz-me lágrimas aos olhos de cada vez que o ouço- e não foram poucas. Ver o resto dos vídeos Taylor Mali (e preparem-se para passar muito tempo a vê-los)

quarta-feira, fevereiro 10

Barcarolle num vídeo que me fascina

Gostos... são gostos. Este meu poderá ser discutível, os confrades (e outros visitantes) poderão apreciá-lo ou rebatê-lo :)

domingo, janeiro 24

Calmantes educativos

Apenas hoje li o artigo de Berta Brás no DN de 13 de Janeiro sobre a "medicação para a docilidade", que tem duas linhas de raciocínio que merecem ser trazidas para aqui.
Uma é a já tradicional litania das diferenças entre o bom ensino de antigamente e a pouca-vergonha do ensino de hoje. Pessoalmente acho a abordagem simplista, mas compreendo que há limites para o que se consegue transmitir em 3500 caracteres. Ainda para mais quando o tema de fundo é outro e, acho eu, muito mais preocupante. E digo isto porque professores/pedagogias/escolas bons e maus sempre os houve, mas este fenómeno de drogar miúdos é recente.
Conheço poucos casos de crianças a tomar Ritalina ou sucedâneos, mas em todos eles me parece que as crianças estão a pagar pelos erros dos pais. Admito que possa haver casos genuínos de descontrolo hormonal ou psicológico que justifique a ingestão destes produtos. Mas milhares de crianças, Senhor?

segunda-feira, janeiro 18

Museu Virtual RTP



Uma das grandes virtualidades de um museu é colocar-nos em contacto com uma herança trazida por pessoas que viveram antes de nós, que deram o seu contributo para que hoje possamos olhar o mundo para além do momento presente. Museus são memórias. São os passados que fazem de nós o que somos hoje.
A televisão dá sem dúvida um importante contributo para que o nosso conhecimento vá para além do que se passa na nossa rua. E dá-o desde o início. E trouxe-nos, sem dúvida, grandes momentos.
Muitos dos quais, podem ser recordados aqui.
Que tal um passeio pelas salas do museu?

segunda-feira, janeiro 11

Inauguração de 2010

Permito-me inaugurar o novo ano. O de 2010, pois. (Há prazos para as inaugurações?) E desejar que todos os acordos e negociações possíveis aconteçam efectivamente. E que aconteçam sempre tendo por base os alunos, sem descurar as realizações profissionais de professores e de todos os outros profissionais que com eles trabalham.
Permito-me inaugurar este ano 2010. E fazer votos para que cada família perceba o seu lugar na educação de cada criança. E que não deixem as crianças decidir quando não sabem decidir bem, para que mais tarde não tenham de decidir por elas.
Permito-me inaugurar o ano 2010 aqui no aragem. E desejar que todos sejamos responsáveis. E felizes!