domingo, abril 30

:(

Faltavam apenas 5 km de caminho para chegar à escola. Seria um dia como tantos outros.... mas não foi. Um acidente de viação vitimou a Ana Salazar.
Com explicar a merda do destino àquela criança que deixou de ter o aconchego da mãe?

Adenda: A Ana Salazar era uma colega de Matemática, vivia em Guimarães e era natural de Santa Maria de Airão.

Desculpa Miguel

“I suggest that we need to begin with in the innate resilience of every human being and with the metaphor that all of us who work with youth are gardeners, whose young people are flowers in our care. Such gardeners understand that, like seeds, children have within them everything they need to be healthy and successful. In our roles as gardeners, we do not need to tamper with the seed – the flower is in there. But we must understand the importance of providing a nurturing environment, one that responds to each individual (…)”
Aconselho vivamente a leitura de Bonnie Benard, uma autora brilhante na área da resiliência

sábado, abril 29

“Saber perdoar”

Ao aproximar-se do balcão da recepção de um hotel, um homem, ao virar-se, esbarra o cotovelo no seio de uma linda mulher.
Meio sem graça, meio envergonhado, ele diz:"Mil desculpas. Se o seu coração for tão macio como o seu seio é,tenho a certeza de que me perdoará."
Responde a mulher:"E se o seu pénis for tão duro como o seu cotovelo, o meu quarto é o1221.!
Isto sim, é saber perdoar!

Estas rosas que vos dou...

.

Estas rosas que colhi
(nem uma nem duas nem três)
pela minha própria mão
(todas para vocês)
"destinem-se" a alegrar
colorir sem esborratar
algum cinzentito que more
no vosso gentil coração...
Que o fim de semana que vem
é longo qual esparguete
e requer muita alegria
hora a hora, dia a dia,
p'ra ser vencido sem frete.

(E roam-se de inveja
que o meu inda é mais comprido...
Terça-feira é sempre assim
um dia só para mim
a fingir que não há escola
mas sempre de escola "enchido"...)

Bom fim-de-semana!


Uma Aragem de... Tristeza!


Na quarta-feira, nas Actividades dos Dias da Ciência, fomos visitados por algumas turmas do 1ºCiclo do Ensino Básico.

Fiquei super-desiludida! O que esperava ser uma Aragem de vontade de saber transformou-se numa raiva brutal... Odiei aquela professora!

Claro que os meninos têm dificuldades e são mais ou menos inteligentes mas "desvia-te pra lá que tu és parvo e ele não" não me soou de forma agradável...

sexta-feira, abril 28

quinta-feira, abril 27

Uma Aragem de... Amor!

QUANDO EU NASCI

Quando eu nasci,
Ficou tudo como estava.

Nem homens cortaram veias,
Nem o Sol escureceu,
Nem houve Estrelas a mais...
Somente,
Esquecida das dores,
A minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
Não houve nada de novo
Senão eu.
As nuvens não se espantaram,
Não enlouqueceu ninguém...

P'ra que o dia fosse enorme,
Bastava
Toda a ternura que olhava
Nos olhos de minha Mãe...

Sebastião da Gama

O Nosso Portugal (III)

[Publicidade gratuita]...;)

quarta-feira, abril 26

O Nosso Portugal (II)

Só pode ser mentira... [recebida por mail... também gostava de conhecer a fonte]

O Nosso Portugal



[Foto de... não faço ideia! (recebida por e-mail)]

E viva a criatividade e o sentido de humor :)

domingo, abril 23

Blogues de professores

A propósito da entrada anterior da TLopes, acrescento esta brilhante reflexão da Adriane.

Professores em blogs: identidades em fluxo
O corpo de alguns docentes, escamoteado, esquecido por muito tempo pelas teorias educacionais, encontra, nos blogs, espaços e formas de expressão, onde pode construir uma outra forma de identidade.Mas será que este corpo permanece fechado em um aparato técnico?Como a blogosfera é uma esfera que se relacionam com tantas outras (no ciberespaço e fora dele) em forma de rede, retro-alimenta uma identidade mutante.Mas será que essa identidade é a mesma que se mantém no contexto educativo do professor? Será que o contexto educativo também é mutante? Será que a escola vê o blog como um espaço educativo?A identidade do sujeito é intimamente relacionada à reflexão desenvolvida por este sujeito em seu blog. Ali, junto de suas reflexões, vai se dizendo, se mostrando, de acordo com um quadro de valores que, através do movimento da escrita, (re)pensa sobre seu lugar social, sobre quem é e o que faz, os lugares que transita.Porém o ‘corpo’ ali apresentado aparece sob a descrição que o sujeito quer dar a si (em um movimento intencional ou não), como uma espécie de performatização.Esta identidade também é mutante, a medida que se refaz nas interações com outros sujeitos e realidades possibilitadas pela realidade digital da blogosfera. Ao mesmo tempo em que é uma potencialização do corpo é uma desnaturalização, é o sujeito fora de seu corpo, apresentando-se com a roupagem de suas palavras em uma interface gráfica digital. Estigmas e marcas do corpo deste sujeito (corpo que aprende com o sujeito e se forma junto dele) podem ser apagadas a medida em que não se fala delas. Pode-se dar mais valor a certas características (corpóreas, intelectuais...) que um olhar rápido ao sujeito não veria.É com essa imagem construída que o sujeito se relaciona.O blog também é um objeto de memória, o que propicia que a imagem do sujeito possa ser revisitada pelo olhar do outro que não fez parte da história desta construção.Porém, essa construção não é totalmente intencional: ela muitas vezes foge ao controle do sujeito que se constrói. Isso por que o sujeito não se constrói sozinho, e sim na/da relação com os outros, com os espaços, com os fatos. Quando a imagem construída não é mais agradável ao sujeito, ele pode “trocar de roupa”, extinguindo um blog (ou não) e começando a montar outra imagem em outro blog, desta vez nu e agregando a si novas roupagens.Este movimento, fluxo, agiliza as passagens os intercâmbios, as reflexões deste sujeito que aparece em uma esfera do ciberespaço, relacionado a muitos outros, para se fazer um sujeito em construção preocupado com sua prática pedagógica, colocando esta, por sua vez, também em uma constante reconstrução.”

"Blogues: Expressão e Liberdade, Hoje"

"Blogues: Expressão e Liberdade, Hoje"
Como eu dizia no artigo anterior, uma das impressões que me ficou deste encontro foi a da força que os blogues têm, ou começam a ter, nas pessoas que navegam na internet.
Apesar de se assumir, no seu modo mais simples, inconsciente até, com um cariz confessional, diarístico, ele torna-se, através da possibilidade de partilha, num instrumento que estabele de imediato a possibilidade de trocar impressões, de interagir com o autor.
Paralelamente, há um certo fascínio nessa interacção, já que o autor, mesmo dando-se a conhecer, não deixa de ter algum anonimato. Aliás, a informação que obtemos sobre ele pode ser completamente ficcionada.
Estava presente o director de um jornal local que confessou passar cerca de quatro horas por dia no seu PC, e que consultava blogues como possível fonte de informação e como motivação para a escrita.
De que força falas? Perguntavam.
Falo da força da comunicação em rede, em teia.
E por muito que queiramos guardar só para nós e para o nosso círculo de amigos a partilha do que publicamos, a partir do momento em que clicamos no "Publicar", estamos a tornar-nos candidatos a qualquer prémio Nobel da Blogosfera. É que, tal como acontece com a publicação de um livro, o que escrevemos deixa de ser nosso e passa a ser de quem quer que nos leia.

Pergunta pouco clara?

.

fica a intenção...

Esta manhã senti-me um privilegiado, fui estender a roupa acompanhado por um sol de primavera fantástico. O silêncio foi interrompido pelo cantarolar de uns passarinhos, pelo coachar das rãs que, curiosamente, parece que nem hibernaram. Depois de uma noite pouco dormida, estes momentos são ouro…quadros que não se pintam, não se fotografam e que são difíceis de descrever para um tipo com uma escrita quadrada…fica a intenção…

sábado, abril 22

Blogues: Expressão e Liberdade Hoje

Aqui estou de novo para vos dar conta do debate que decorreu na sexta-feira passada, na Bibliotece Municipal de Sesimbra, a convite da Drª. Guilhermina Ruivo, vereadora para os Recursos Humanos e Bibliotecas Municipais.
Na berlinda estiveram:

Tiago Pinhal
http://tiago.pinhal.com/blogue/

Ruy Ventura
http://alicerces1.blogspot.com/

João Aldeia
http://puraeconomia.blogspot.com/

Pedro Martins (Sesimbra e Ventos)
http://www.sesimbraeventos.blogspot.com/

Luís Marques
http://blogs.parlamento.pt/acidadeeasserras/default.aspx

Talvez Península
http://talvezpeninsula.blogspot.com

Aragem
http://outroarcanjo.blogspot.com/


Foi um debate inovador, num ambiente acolhedor e despretensioso. Trocaram-se ideias, afectos e sonhos. Cada um à sua maneira.
Fiquei com a sensação de que os blogues têm mais força do que, à partida, parece. Hoje sinto-me mais responsável. E com mais vontade de continuar. Afinal, o que temos andado a fazer vale a pena para alguma coisa.


Às 8.25??


Às 8.25 da manhã fui surpreendida pelas minhas meninas do 9ºano! Traziam uma garrafa e um preservativo. Queriam aprender...


E nunca a aula foi tão silenciosa e calma!


Hoje foi dia de ensinar a colocar o preservativo...


Sem medos de falar, com a linguagem adequada e de forma muito aberta...


:D

sexta-feira, abril 21

Mas que bom!

Mas que bom estar entre esta gente! Estou a experimentar uma nova sensação, esta de estar entre os Miguéis, e a Teresa (que não eu) e a Ana Cristina, e a Isabel, e a Tit, que também não conheço.
Lembro a primeira vez que entrei num chat, em directo. Não acreditava no que estava a ver: eu, ali, a "falar" para um país tão distante...
Quero aproveitar para agradecer o convite. Espero ser merecedora.

Hoje, pelas 21H30, na Biblioteca Municipal de Sesimbra, há um debate sobre blogues. Soube há poucos minutos, quando me ligaram a perguntar se podia estar presente. Estarei. E vou levar-vos comigo.

Adenda às boas vindas

Na 3ª feira o Miguel pôs o Aragem azulinho e logo o "Ninho" recebeu mais habitantes...

para onde
nos atrai
o azul?
(Guimarães Rosa)

No Ninho...


Sinto-me no ninho desta Aragem a espreitar com timidez...
Sussuro baixinho - estou aqui...

Obrigada!... :)

Boas vindas...

Olhando para o panorama dos colabores deste blogue a primeira tendência pode ser exigir uma política de cotas que reponha a paridade, tal como foi hoje votada (meio electronico, meio de braço levantado) no parlamento. O pior é que, ao contrário das mulheres, adoro me sentir em minoria (vá lá se saber porquê).
Vá lá Miguel, continua a convidar colaborador(A)s…sabes escolher…fica desde já as boas vindas, às que chegaram, e um sorriso às que já cá estavam…

quinta-feira, abril 20

Obrigada...




No meio desta Aragem, devo agradecer a confiança depositada pelo Miguel.



Sinto-me como se finalmente fosse aceite na Confraria... e como disse um amigo, na Confraria do Pé Descalço!

terça-feira, abril 18

Arejo…

O Aragem vestiu uma roupagem primaveril. É um novo ciclo que se abre e que assinala uma nova transição. Não estou certo que o Inverno do pessimismo e das nuvens densas carregadas de artimanhas e perversão tenha terminado. Sei apenas que a minha vontade reclama uma Primavera com claridade, transparência e verticalidade.

Adenda: O anterior template causou alguns embaraços à Isabel. Não foi com a onda…
Espero que se deixe embarcar nesta nova aragem.

segunda-feira, abril 17

Qual é coisa qual é ela

Regresso. Pôr a cabeça a pensar outra vez...
Abandonar a doce contemplação
e passar lentamente à acção...
Umas adivinhas para começar...
(De acordo com o "despacho-normativo das adivinhas" têm todas a mesma resposta - muito apropriada ao local onde foram colocadas.
Mas a ideia é ser criativo e oferecer respostas menos conformadas...)


1 - Não é duro,não é mole;
não se apalpa, não se come.

2 - Corre, corre, sem ter pés, dá-te na cara e não o vês.


3 - Qual é a cousa, qual é ela,
Que entra pela porta
E sai pela janela?

4 - Sou frio,também sou quente, sou fraco, também sou forte.

Nunca posso estar parado, vejam lá a minha sorte!

5 - Sem voz grita; sem asas voa; sem dentes morde; sem boca murmura.



quinta-feira, abril 13

sábado, abril 8

3 em 1

Como estamos em época festiva, há que tratar do petisco…
Então aqui vai:
Junto a abstinência da coisa educativa (Isabel), a formatação real do disco (que dei conta no meu cantinho) e a formatação virtual da cabeça (Teresa). Depois junto-lhe uma breve saída (para fora cá dentro… hummm… talvez até Trás-os-Montes??) e depois de bem misturar salpico com uma breve Aragem (sempre que as visitas controladas pelo leitor de RSS o sugerirem). Deixo uma semana a marinar e… já está: quando começarem as aulas está pronto a servir e a usar.

[PS: Se dominar a coisa educativa como controlo a coisa culinária, só me resta acrescentar: coitados dos meus alunos…]

terça-feira, abril 4

Ora bolas!


Usei um computador que me custou 3000 euros, uma impressora laser de 1500 euros e um software especial de processamento de texto que comprei por 500 euros e, mesmo assim, tive Insuficiente no trabalho!

domingo, abril 2

uma maldade...

Pai vamos comer batata frita?

Acordei pela manhã com esta pergunta do filho mais novo (Diogo), a minha princesa (Beatriz), que estava louquinha para comer aquela porcaria disse: Oh Digo isso faz mal, para logo, em tom mais baixo e com sorriso na boca rematar: a não ser que seja uma vez de vez em quando. Sorri, pois vi que a conspiração estava tão bem planeada que tinha que ceder e respondi: Sim senhor, hoje para o lancha vamos ao Centro Comercial come-las.

Não podia evitar que comessem as batatas mas gostava que não tivessem muito prazer, por isso a estratégia que utilizei foi simples: Almoçamos mais cedo e por volta das três convidei-os a comer cereais. Comeram uma, duas tijelas de cereais secos (detestam com leite). Depois de os ver cheios, como não quero a coisa, disse-lhes: está na hora de cumprir com o prometido, bora lá ao centro.

Chegados ao local do pecado, pedi uma dose de batata e o Diogo comeu três, a Beatriz outras quatro....o resto lá ficou, e viemos para casa....eh eh eh, espero que estas maldades não sejam contabilizadas nos meus pecados.