segunda-feira, julho 14

(Quase) Tempo de Férias

Aproximam-se as férias. Para muitos professores, não será fácil pensá-las confiantemente como tempo de levantar o ânimo, tempo de recuperar a confiança, tempo de recriar a esperança. O prazer de educar e ensinar e a crença na luta por uma escola pública de qualidade foram demasiado abalados.


Mas os tempos estão em constante mudança, é preciso que as vontades não aceitem desistência.


Aqui fica uma sugestão: Que cada confrade (e outros) deixe, neste espaço de aragem leve e fresca, o seu grãozinho de esperança, com sabor a férias, mas também com cheirinho a reconstrução da colaboração e da resistência que muita força podem ter se os professores quiserem.

3 comentários:

IC disse...

Ao Miguel, que é o nosso administrador: Lancei o mote, mas eu já não estou no terreno. Agora tens que dar tu o pontapé de saída ;)

3za disse...

Com tanto mote e pontapé... a inspiração chegou... Beijinhos

Teresa Lopes disse...

Aqui vai o meu pequeno contributo, ainda em jeito de renascer.

Beijinho e obrigada pelas vossas visitas à Península. Também ela esta a renascer.